Programas sociais perdem verba, mas orçamento de projeto de Marcela Temer mais que dobra

xmarcela-temer.jpg.pagespeed.ic.tia8qRLR66

O Orçamento enviado ao Congresso pelo governo Michel Temer para o ano de 2018 retirou R$ 547 milhões de rúbricas que mantêm centros de referência de assistência social presentes em 99% dos municípios, com serviços voltados à população de baixa renda. Enquanto isso, o programa Criança Feliz, que tem a primeira-dama Marcela Temer como garota-propaganda, mais que dobrou de orçamento, passando de R$ 285 milhões para R$ 600 milhões.

A queda foi de 28,1% nos programas sociais de atenção básica, de média e de alta complexidade, que tinham R$ 1,9 bilhão na proposta de Orçamento de 2017 e agora têm R$ 1,3 bilhão. O recurso custeia serviços oferecidos nos centros de referência, tais como abrigos, lares de acolhimento e programas para vítimas de violência.

Lançado há cerca de um ano, o Criança Feliz consiste em dar atenção especial a crianças de até três anos de famílias de baixa renda com visita de equipes. Mais de 2,6 mil cidades aderiram à ação. Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Social informou que os valores da proposta enviada ao Congresso “ainda podem ser alterados” e que “trabalha permanentemente para que nenhuma ação ou programa sejam prejudicados ou interrompidos”.

O programa que mais perdeu verba foi o Proteção Social Básica, que tinha R$ 1,3 bilhão na proposta orçamentária de 2016 e passou para R$ 910,9 milhões.

Deixe uma resposta