PALAVRAS NO AVESSO – TRÊS BENEFÍCIOS DA LEITURA

Marcos Fábio Belo Matos – professor doutor do Curso de Jornalismo da Ufma Imperatriz
Marcos Fábio Belo Matos – professor doutor do Curso de Jornalismo da Ufma Imperatriz

O mundo entrou numa onda de contar tudo. O marketing se aproveitou disso e agora os livros, para vender, têm que ter algum tipo de número no título. “100 posições sexuais na cama”; “10 maneiras de se dar bem no trabalho”; “50 tons de cinza”; “50 tons mais escuros”; “50 tons de liberdade”; “1001 erros de Português”… a lista é grande. Vou, então, me apossar dessa estratégia e deixar, neste espaço, três benefícios que a leitura pode fazer na sua vida – se você a praticar, de maneira costumeira, mais ou menos como usa o Whatsapp ou vai pra academia ou ainda curte todas as postagens do seu crush. Vamos a elas:

PRIMEIRO: Quando você lê, sem perceber, você está incorporando as estruturas da língua. Aquelas mesmas que você tem tanta dificuldade de se lembrar, na hora da prova ou do concurso ou do Enem. Análise sintática; classes de palavras; sintaxe de concordância (nominal e verbal) e de regência (nominal e verbal); colocação pronominal (próclise, ênclise e mesóclise); figuras de linguagem (metáfora, metonímia, catacrese, etc). Isso não quer dizer que você vai abandonar a consulta à gramática e ficar só com a leitura. Não estou dizendo isso. Estou defendendo que, quando você faz uma leitura, essas estruturas (das quais os textos são, afinal, construídos) vão se tornando familiares a você, vão sendo mais próximas do seu convívio do que aquelas frases esquemáticas da gramática. Você, enfim, vai convivendo, dia a dia, com esses elementos. E convivência pega. Minha mãe dizia que convivência pega até perna quebrada…

SEGUNDO: Quando você lê, acumula conhecimento. Muito mais que informação, conhecimento. Aquele saber duradouro, que fará parte da sua formação. E isso inclui extratos de Filosofia, Religiões, Sociologia, Geografia, Matemática, Biologia, Química, História, Economia, Política, Línguas, etc. Sem contar a sua capacidade de descobrir palavras novas e passar a usá-las, tornando seu vocabulário muito mais rico. Um conhecimento mais sólido é feito com muitas horas de leitura – leitura competente, diga-se de passagem.

TERCEIRO: Quando você lê, você vai adquirindo o estilo de escritura, pela incorporação das tipologias textuais (narração, descrição e dissertação), pelo contato com vários tipos de gêneros textuais (poesia, conto, romance, notícia, reportagem, histórias em quadrinhos, textos bíblicos, haicais, peças teatrais, etc, etc, etc). Assim como no item 1, em que você vai absorvendo, num processo natural e contínuo, as estruturas gramaticais, aqui também você vai tendo acesso, contato e convivência (que é maior que o contato) com os textos de determinad@ autor@, a ponto de ir incorporando a forma de ele/ela escrever, reconhecendo a(s) maneira(s) que ele/ela tem de se expressar por escrito. Um exemplo prático: quando você “topa” com um texto de um@ autor@ de quem é leitor@ na internet, você, quase sempre, consegue “sacar” se o texto é mesmo dele/dela. E isso se dá porque você já é “íntimo” daquele/daquela autor@. E pode ter certeza: essa convivência vai acabar influenciando a sua forma de também escrever.

Se você constatar, na prática, apenas esses três benefícios, já é suficiente; nota 1000.

Deixe uma resposta